sábado, 12 de junho de 2010

Querido Diário,

11/08/10

Querido Diário,
Você provavelmente vai achar que isso é coisa da minha cabeça, eu sei, mas eu juro que não é. Juro mesmo. Como você sabe, hoje era o dia da tal Feira de Ciências e, como você sabe também, meu projeto era constituído por estúpidas batatas produzindo uma estúpida energia elétrica. Eu não queria chegar ao ginásio com ela e corri para o laboratório, a fim de escondê-las por lá e fugir para bem longe daqueles nerds que fazem com que eu me sinta um asno. E sim, Julian está incluído nesse seleto grupo de mentes brilhantes e estranhas. Mas, continuando, quando eu acendi as luzes da sala, encontrei algo gigantesco coberto por um lençol branco e, como era de se esperar, fui logo descobrir o que era aquilo. Puxei o lençol e encontrei o que eu acho que deve ser mais um projeto de ciências, intitulado "Máquina do Amor Perfeito". As instruções diziam que eu só devia colocar um capacete, pensar em todos os detalhes do meu "amor perfeito" que ele sairia em poucos minutos em um tubo de vidro transparente. Eu coloquei o capacete, ainda rindo internamente da lorota que aquilo me parecia, e pensei no cara perfeito: olhos verdes, cabelos castanhos, um sorriso perfeito, uma voz de veludo, ombros largos, romântico, bem-humorado, fiel, que realmente gostasse de mim e todo o blábláblá que você sabe que eu espero. A máquina começou a fazer uns barulhos estranhos e, para minha surpresa, um moço exatamente como o imaginado saiu no tal tubo de vidro. Eu juro que é verdade e também juro que ele é de verdade!!
Ele saiu de lá, com o que eu presumo ser o seu melhor sorriso, me disse o seu nome (Vitor Hugo, meu nome preferido) e disse que deveríamos fugir daquela Feira de Ciências para comer uma pizza ou só para conversarmos. Fomos a um restaurante que eu nem sabia que existia, ele puxou a cadeira para eu me sentar, pagou a conta, fez com que eu me sentisse uma princesa; o primeiro encontro com o cara dos meus sonhos foi exatamente como eu esperava: perfeito!

12/08/10

Querido Diário,
Eu contei para Julian sobre a história da Máquina do Amor Perfeito e ele riu da minha cara. Disse que isso é, no mínimo, fisicamente impossível e só conseguiu acreditar em mim quando Vitor chegou em casa para me ver. Acredita que ele levou um buquê de flores para mim? Vitor Hugo é um fofo, disse que adora minha risada e também comédias românticas. Nessa hora, Julian fez uma careta (ele simplesmente o-d-e-i-a comédias românticas, acho que já escrevi isso antes), disse que precisava ir e sussurrou para mim que eu deveria ter cuidado, porque o par perfeito não existe. Ele é meu melhor amigo, então não deveria ficar feliz com a minha felicidade?

11/10/10

Querido Diário,
Hoje faz dois meses que eu e o Vitor nos conhecemos. E posso te contar um segredo? Não aguento mais esse chato no meu pé o tempo inteiro!! Ele é amável com a minha mãe e com a minha avó, meu pai diz que ele é tudo aquilo que sonhou para mim, ele me traz flores todos os dias, aguenta minha TPM e vive me chamando de amor. Mas tuudo isso já me encheu o saco e até seus olhos verdes que, antes, me pareciam duas pequenas esmeraldas, já me parecem tão... normais. Ah, e é claro, ele anda implicando com a minha amizade com o Julian e eu quase virei um soco naquele rosto perfeito quando ele disse que eu não deveria ir assistir filmes com ele e a turma da escola, porque ele era meu namorado e eu deveria ficar com ele o tempo todo. T-o-d-o!

28/10/10

Querido Diário,

Eu terminei com o Vitor hoje e, bom, não foi bem como eu pensava que fosse. Primeiramente, eu expliquei meu ponto de vista sobre o exagero e ele disse que só queria demonstrar todo o amor que ele tinha por mim. Eu disse que não precisava de tanto e terminei com ele. Então, ele começou a chorar e chorar e chorar até que se dissolveu em lágrimas. E quando eu digo isso, estou usando o sentido literal da palavra dissolveu: ele acabou derretendo em lágrimas e, agora, Vitor Hugo não existe mais. Não passa de uma poça d'água.
Eu liguei para Julian na mesma hora, até porque uma explosão de sentimentos se misturava dentro de mim. Ele riu, disse que isso deveria ser normal, porque eu tinha acabado de matar alguém que nunca existira de verdade e ainda me lembrou do dia em que ele conheceu Vitor e me disse que amores perfeitos não existem. Eu disse que ainda discordava dele, mas que a minha visão do amor perfeito mudou. Ele perguntou qual era minha nova visão de amor perfeito e eu ri, porque ainda não sabia exatamente como definir o meu melhor amigo nerd e que odeia comédias românticas.

• Pauta para o BLK :)

13 comentários:

Mariana Amorim disse...

Como sempre arrasando Cary. Sua história de amor perfeito, me fez lembrar da insatisfação humana.Esse eterno desejo de querer sempre mais e o que não temos.

Pirulito que Bate-Bate disse...

Oi, Cary!
Eu sempre visitei o seu antigo blog, "Coluna da Cary" e vi que ele estava parado há um certo tempo... pesquisei, pesquisei e achei o seu mais atualizado. Estou adorando as postagens, inclusive também postei essa pauta para o BLK.
E gostamos das mesmas coisas: Glee, Gossip Girl e Vampire Diaries!

Juh Lima disse...

Nossa, que texto bacana! Mesmo! Confesso que quando comecei a ler, fiquei meio assim: "eita, como dizer para ela que alguém perfeito assim não existe?" Mas depois a história foi desenrolando e chegou ao melhor fim possível. Realmente, não tem como, não existe alguém perfeito e dificilmente vamos encontrar uma pessoa do jeito que a gente quer. Acho que o cara perfeito é aquele que a gente adora as qualidades, mas também aceita os defeitos numa boa.
Beijocas ;*

Monique Premazzi disse...

Eu juro que ri com a história. Sempre digo que perfeição nao existe, mesmo eu sabendo que antes eu acreditava cegamente que existia. Mas hoje, graças a Deus, não acredito mais em perfeição e sim na pessoa certa para cada um de nós que é totalmente imperfeita, pois só assim a gente vai se dar bem.
Adorei a pauta, boa sorte para nós *-* Se quiser ler a minha, passa lá no blog, eu postei \o/ E obrigada mesmo pela sua visita mais uma vez, adoro *-* Beijinhos.

meus instantes e momentos disse...

muito bom teu blog.
Gostei daqui.
E esse teu diario, com certeza vai se tornar um livro...
que bom te ler.
Maurizio

Jeniffer disse...

Own mara o texto! *.*

Bjs!

Karen Dayse disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karen Dayse disse...

Oi amor... Obrigada por visitar o queriaserescritora.blogspot.com , volte sempre !!
Visite também:
www.tudocomcaprichoo.blogspot.com

Ah, adorei aqui! Você escreve muito bem !

Thizi disse...

Cary, a tal maquina do amor perfeito faz milagres e se vc jura que é verdade, quem é o seu diario para duvidar?

Elisa Mucida. disse...

Ai, que lindo o texto. HAHA, amor perfeito não existe, a gente tem é que aprender a conviver com os defeitos do outros.. isso é amor!

Sério, muito criativo seu texto. Que bom que você voltou com o blog *-*

Beeijos :*

Carolzinha_Hermanas. disse...

Adorei essa história :D
AHAUAHAUAHAUAHAU *____*.
E é verdade sabe,não existe pessoas perfeitas :)
-

Beeeijinhos *_*,aaaaaaamo passar por aqui.Um lugar tãaaao alegre '-'

Rah C. disse...

EUUUUUUUUUUU AMO isso de diário HAHA' Eu tive tantos quando mais nova e hoje meu blog virou um HAHA'
adorei aqui,
beijos

Erica Ferro disse...

Acho sensacionais esses teus textos com cara de conto. Tem um 'quê' de doçura, de filme teen. Gosto mesmo.

Beijo.